ME Time

Uma das coisas que eu resolvi adotar esse ano é ter uma hora do dia exclusivamente pra mim. Pode ser pra fazer qualquer coisa: malhar, fazer uma massagem, fazer as unhas, sombrancelha, depilação, tomar um café com uma amiga ou até mesmo sozinha, tomar um banho mais demorado com direito à aplicar uma máscara no cabelo, ir a algum lugar admirar uma paisagem, tirar fotos, WHATEVER! O importante é que 1 das 24 horas do dia seja MINHA, exclusivamente minha.

Pode soar estranho, mas quando você está fora do Brasil, sem família nem a ajuda de faxineira, passadeira, cozinheira e etc e ainda por cima cuidando de outras pessoas – marido, filho, se preocupando com pai e mãe que estão distantes – é fácil se esquecer da gente. Já vi acontecer com várias mães, mesmo com as que estão quietinhas em seus países, imagina com as expatriadas… E eu mesma caí nessa cilada.

Nos últimos 2 anos eu fiquei 24 x 7 on the go, ignorando minhas necessidades básicas, como comer bem, com calma, dormir, ir ao banheiro, ter tempo para descansar,  processar sentimentos e emoções, estava malhando pouco porque tinha que dar conta da casa, comendo mais porque estava usando comfort food para equilibrar o e o stress.

O resultado disso não estava nada bom. No final do ano passado eu estava cansada, estressada, sem paciência, pra baixo, sem aquele brilho no olhar, sabe? Estava fora de forma, me vestindo com qualquer roupa, até porque meu closet estava tão zoneado que eu não conseguia achar nada.

Um dos motivos de estar assim era a falta de tempo. A rotina de casa e os cuidados com o Henry estavam ocupando todo o meu tempo. A outra era o fato que isso tudo estava afetando a minha saúde mental. E eu não estava percebendo…

Um dia eu me olhei no espelho e não me reconheci. E aí falei: “Chega!” Preciso dar um basta nisso. Foi aí que eu implementei o ME time no meu New Years Resolution.

Para ter mais tempo para mim, eu preciso me colocar em primeiro lugar. Não é uma questão de ser egoísta. É uma questão de se priorizar, porque se eu não cuidar de mim, ninguém vai cuidar. Porque se eu não me cuidar, a casa, o marido e o filho caem junto. Então se priorizar é apenas a garantia de estar bem, firme e forte para aguentar o tranco e cuidar deles e da casa. Ou seja, egoismo é a última coisa que tem em se priorizar.

Para ter mais tempo para mim é preciso rever minhas rotinas, ser smart do jeito que toco a casa. Preciso ser mais organizada, preciso pedir mais ajuda ao marido, estabelcendo rotinas que ele toque naturalmente, sem precisar que eu fique lembrando. É necessário que eu aprenda a estabelecer pausas, reconhecer meus limites e respeitá-los.

Hoje aqui estou eu, numa pausa entre uma tarefa e outra. Depois de arrumar criança, levar para escola, dobrar roupa, terminar de guardar as decorações de Natal eu cansei. E ano passado, eu respiraria fundo e continuaria trabalhando que nem uma barata tonta para dar conta de tudo. Mas em 2019 não. Parei, sentei no sofá, botei o pé pra cima por 10 minutos, respirei fundo e relaxei. Levantei outra pessoa! Aí organizei os brinquedos do Henry e depois fui almoçar com uma amiga, meu ME time do dia. Agora de noite ela me agradeceu por ter tirado ela de casa para almoçar. Provavelmente estava precisando de um ME time também.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close