O que é ser expatriado?

Muitas pessoas tomam a decisão, a coragem, a atitude de morar em outro país por inúmeros motivos: para estudar, porque surgiu uma oportunidade de trabalho com melhor remuneração em outro país, para alavancar a carreira através de uma experiência profissional internacional, para aprender outra língua, porque se apaixonou por um estrangeiro, para fugir de uma guerra,  por alguma insatisfação com o seu país, para ficar longe da família tralálálá, porque têm vontade de conhecer outras culturas ou simplesmente porque busca uma aventura.

De acordo com o dicionário, expatriado é aquele que por motivações (ou razões) diversas deixou a sua pátria. Mas no meu entendimento, expatriado não é exatamente um imigrante. Um imigrante deixou seu país com a intenção de estabelecer um novo lugar para ser a sua casa, ele vai buscar estabelecer raízes lá. Um expatriado não. Ele vai sair de sua terra natal, mas ele continua sem pátria.

O processo de expatriação é muito adotado por empresas multinacionais pelos inúmeros benefícios que traz para empresa: este processo ajuda a manter a uma coesão na unidade de negócios a um nível global por meio da promoção da diversidade cultural e a transferência de know-how (conhecimento) de uma localidade para outra. Além disso, um expatriado pode desenvolver a mão-de-obra local em vários aspectos, desde técnico até pessoal, através da transferência não só de habilidades técnicas e do conhecimento utilizado em outras regiões, mas também porque simplesmente na convivência de dia-a-dia com os funcionários locais ele acaba por compartilhar os seus valores culturais e suas próprias experiências, ajudando na diversificação daquele ambiente.

Uma empresa transfere o expatriado por um pré-determinado período de tempo. O expatriado se muda para outro país sabendo que ficará ali temporariamente e depois a vida segue. Ele pode ser transferido de volta para o seu país de origem (processo chamado de repatriação) ou continuar desenvolvendo a sua carreira como expatriado, se estabelecendo por um período pré-determinado de tempo em outras regiões. O futuro do expatriado depende das aspirações de carreira e pessoais do funcionário, da estratégia e dos objetivos da empresa e também de outros fatores que muitas vezes não estão sob controle de ambas as partes: políticos, econômicos, aprovações de visto, etc.

Quando você olha para um grupo de expatriados inicialmente pode parecer um grupo homogêneo: um grupo de gringos que está temporariamente dentro de uma empresa, de uma comunidade. Entretanto este grupo é formado por indivíduos totalmente diferentes em suas raízes, aspirações e necessidades individuais. Acho que este é um grande desafio das empresas: como oferecer suporte à estes indivíduos de maneira que o processo de expatriação seja bem sucedido e que traga os benefícios esperados, atendendo os objetivos e a missão da empresa.

Em posts futuros vou falar mais sobre os desafios do expatriado e da importância do papel da família no sucesso da expatriação.

Este é apenas um blog pessoal. Compartilho aqui apenas minhas experiências pessoais, minha humilde opinião e as algumas maluquices que passam pela minha cabeça. O que está escrito neste texto não é a pura verdade, qualquer leitor tem todo o direito de ter uma opinião diferente ou de ter tido uma experiência totalmente diferente da minha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close